Consumo, redes sociais e ostentação

December 12, 2017

 

 

 

 

O filme "The Bling Ring", lançado em 2013, segue cerca de um ano de vida de cinco jovens que se envolvem em ataques e roubos a casas de pessoas famosas, como Orlando Bloom, Megan Fox, Paris Hilton e Lindsay Lohan. A história é baseada em eventos reais. As invasões ocorreram entre outubro de 2008 e agosto de 2009, no estado da Califórnia, nos Estados Unidos, com repercussão internacional.

 

O caso atraiu a atenção dos veículos de comunicação porque os jovens eram de classe média e roubaram com facilidade US$ 3 milhões em joias, dinheiro, roupas e objetos das marcas Chanel, Prada, Louis Vuitton, Marc Jacobs, Dolce & Gabbana, Versace, Alexander McQueen, Louboutin, Tiffany & Co e Rolex. Além disso, eles não usavam armas, máscaras, luvas ou força para invadir casas.

 

Logo, um dos questionamentos do filme é a motivação para esses jovens cometerem roubos tão ousados. Inicialmente, a história deu origem ao artigo "The Suspects Wore Louboutins", escrito por Nancy Jo Sales e publicado na revista Vanity Fair, em março de 2010. A leitura do texto inspirou Sofia Coppola a escrever e dirigir o filme.

 

Nancy Jo Sales também escreveu um livro sobre o assunto, publicado em 2013. Nele, Sofia explica que se sentiu atraída pela história por conta “de toda a ideia em torno do narcisismo dos reality shows e a obsessão com as redes sociais. Tudo para o qual a geração mais nova está obcecada”.

 

Em "The Bling Ring", os adolescentes usam smartphones para tirar fotos e acessar as redes sociais a todo momento. Isso acabou sendo usado pela polícia contra o grupo. Alguns itens furtados foram identificados através de fotos postadas por eles nas redes sociais.

 

Interessante notar que o nome Bling Ring – dado ao grupo pelo jornal Los Angeles Times – é uma gíria inglesa associada à cultura do excesso. A expressão mistura o nome de um acessório, o anel, com a onomatopeia que faz referência ao som das máquinas registradoras. A gíria também é usada no contexto do hip hop para se referir a gastos com joias.

 

No Brasil, o termo "ostentação" é relacionado a esse comportamento exibicionista e amplamente utilizado no meio do funk. Nos Estados Unidos, a exibição de riqueza está presente principalmente em músicas de hip hop e rap. Algumas canções desses dois gêneros são parte da trilha sonora do filme, como "Power" (de Kanye West), "Bad Girls" (M.I.A.) e "Super Rich Kids" (Frank Ocean).

 

O filme também mostra o envolvimento de jovens com drogas. Os personagens Rebecca e Marc usam cocaína depois de encontrar a droga em uma das casas atacadas. Em outro momento, Marc aparece em uma webcam fumando cachimbo e dançando ao som de "Drop It Low" (Ester Dean e Chris Brown).

 

Essa postura pode ser considerada uma cópia de atitudes de algumas celebridades, como Lindsay Lohan, ídolo da personagem Rebecca. Outro detalhe curioso é que a cidade de Los Angeles, onde ocorreram os furtos, possui muitas outras casas luxuosas. No entanto, os jovens invadiram apenas casas de celebridades. Eles buscaram objetos de valor usados pelos famosos para se apropriar desse estilo de vida. Ou seja, não era suficiente admirar essas pessoas, mas ser como elas.

 

"The Bling Ring" faz o público mergulhar em toda a superficialidade que envolve o mundo da fama. Apesar de se concentrar no comportamento dos jovens, o filme questiona os valores adotados pela sociedade contemporânea, cada vez mais influenciada pelo estilo de vida e padrões destacados na mídia e nas redes socais, em que pessoas extravagantes e desconectadas da realidade, como Paris Hilton, Kim Kardashian e Lindsay Lohan, são consideradas referências.

 

 

 

O trailer está disponível no site oficial do filme: http://www.theblingring.com/

 

Foto: facebook.com/BlingRingMovie

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Compartilhar
Please reload

RECEBA AS NOVIDADES

  • Grey Facebook Icon
  • Grey Instagram Icon
  • Grey G+ Icon

© 2019 por Soteroprosa | Design por Stephanie Nascimento. Implementação e suporte por Wix.com.