Quem tem medo de Greta Thunberg?

September 27, 2019

 Fonte: Revista Veja

 

A sueca Greta Thunberg tinha apenas 15 anos quando começou a discursar em frente ao Parlamento do seu país, na cidade de Estocolmo, a respeito da urgência em debater com mais seriedade os problemas ambientais que podem gerar mudanças climáticas significativas em um futuro próximo. Seu ato impulsionou movimentos em diversos locais da Europa e com a potência de alcance das redes sociais, o nome dela começou a ganhar notoriedade. Tornou-se uma líder de milhões de jovens que se entusiasmaram com seu discurso incisivo e contundente, dando um recado taxativo para as autoridades. Suas palavras ganharam relevância tal a ponto de discursar na Cúpula Climática da ONU, em uma explanação bastante mordaz e eloquente.

 

Porém, quem consegue uma quantidade de fãs como ela também arruma um monte de dissidentes. Já a chamaram de neurótica, manipulada por ONG’s ambientalistas, fantoche de “ecochatos”, financiada por bilionários, e que não deveriam utilizar uma autista para isso (ela foi diagnosticada com Síndrome de Asperger, um espectro do autismo). Aqui no Brasil, não faltam detratores que foram ainda mais longe nas afrontas. Retardada, histérica, agressiva... Teve até radialista afirmando que ela “precisava de sexo”. Um deputado sem noção, até postou uma imagem falsa apenas pelo prazer de difamá-la. Ou seja, travaram uma tremenda guerra para atacar uma garota de 16 anos. Pra que tudo isso?

 

A preocupação com o clima e o meio ambiente obteve significativa relevância a partir do final da década de 1960, quando a humanidade problematizava guerras, políticas desastrosas, segregações étnicas e outras desgraças. Não é, portanto, um fenômeno oportunista que aproveitadores pegam carona quando querem. Esse ato atravessa gerações e sempre está presente nas pautas cientificas. Só não enxerga quem não quer ou quem tem má-fé. Alguns desses manifestantes ficaram evidenciados em alguns períodos. O Cacique Caiapó Raoni e a preservação ecológica; o agricultor francês José Bové contra alimentos transgênicos; o seringueiro Chico Mendes; O explorador Jacques Cousteau. E tantos outros. Agora resolveram encher o saco de uma adolescente.

 

Muitos jovens realçam seus discursos ainda na puberdade. A estudante Ana Júlia Ribeiro discursou, então com 16 anos, na plenária da Assembleia Legislativa do Paraná defendendo o movimento de ocupação das escolas, ocorrido naquele período em diversas cidades do país. A paquistanesa Malala Yousafzai lutou pela educação das mulheres na sua terra com apenas 11 anos! Sofreu um atentado, sobreviveu, e conquistou o Prêmio Nobel da Paz. A pequena canadense Severn Cullis-Suzuki discursou na Conferência do Clima Rio 92 com apenas 12 anos. E outras crianças e jovens manifestaram contra algo que consideravam nocivo. Quem possui o dom da oratória pode comunicar seus interesses para quem deseja ouvi-los. E mesmo que repitam velhos clichês, o que não falta é tempo na vida deles para revitalizarem suas convicções. Mas alguns abnegados resolveram expressar suas ojerizas à menina. Curioso que até membros do MBL – muitos deles exprimindo suas motivações políticas ainda na adolescência – se voltaram contra ela. Será que é o discurso que incomoda tanto? Se Greta fosse uma riquinha bancada pelos pais, e deixasse claro que tudo que ela faz é “com meu dinheiro”, haveria tanta grita? Quem pode se autofinanciar tem o direito de falar o que quer? Engraçado que os críticos dela defendem em alto e bom tom a tal “liberdade de expressão”. Não podem conceder a ela esse benefício? Logo nesse ambiente social onde todos se vangloriam de terem iniciado cedo suas atividades laborais? Parafraseando a própria Greta, “como vocês se atrevem?”

 

Os mesmos críticos tupiniquins elogiaram a palestra do nosso presidente, reiterando que foi uma fala “assertiva”, “firme”, de um grande “estadista”, enquanto a maioria da opinião pública classificou-a como malfadada, vergonhosa, tosca, e inadequada. Um presidente que nunca possuiu qualquer qualidade em suas maneiras de se pronunciar para o grande público. Fica a triste constatação que vale mais uma guerra ideológica que o reconhecimento da virtude em colocar seus entendimentos sobre o mundo na mais tenra idade.

 

FONTE:

https://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/mundo/2019/09/25/interna_mundo,790240/conheca-a-historia-da-jovem-ativista-greta-thunberg.shtml

 

http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-40142017000100271

 

https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/greta-thunberg-vira-alvo-de-ataques-no-brasil-e-internautas-fazem-campanha/

 

https://www.gazetadopovo.com.br/vida-e-cidadania/conheca-a-aluna-que-discursou-na-assembleia-legislativa-em-defesa-da-ocupacao-das-escolas-cau79btxgxx9wd6ku73gjcjo2/

 

http://www.yazigi.com.br/noticias/cultura/7-jovens-cidadaos-do-mundo-que-revolucionaram-a-historia

 

 

 

Compartilhar
Please reload

RECEBA AS NOVIDADES

  • Grey Facebook Icon
  • Grey Instagram Icon
  • Grey G+ Icon

© 2019 por Soteroprosa | Design por Stephanie Nascimento. Implementação e suporte por Wix.com.