A ARTE DA NEGOCIAÇÃO



Olá, meus girassóis, hoje resolvi falar de um tema teoricamente não jurídico, mas que na realidade é jurídico até o gargalo: negociação.


Costumamos contemplar uma boa música (aquela com melodia cadenciada, sabe?), quadros das diversas épocas da história humana nesse mundo grande vasto mundo, um filme eletrizante e chamamos todas essas belezas de arte, porque realmente são isso.


A negociação também é uma arte, porém, diferente das comentadas acima, negociar é uma arte que carece de ação e não de contemplação. É uma arte ativa, viva, feroz!


Negociar precisa de:

· Observação

· Escuta ativa

· Leitura da linguagem corporal, da potência da voz da parte contrária

· De bom senso


Essas são algumas das características intrínsecas à arte de negociar. O resto é o chamado feeling, né? Olho no olho. Voz com voz.


Proponham uma solução realmente justa e demonstre isso calmamente e metodicamente à outra parte. Escolham bem as batalhas que irão lutar. Nem todas valem a pena quanto mais a galinha inteira. Prestem muita atenção nas pontas soltas da vida do seu oponente. Faça com que ele saiba que você tem conhecimento sobre elas e demonstre para o seu oponente que você só irá utilizá-las se não tiver outro meio. Não há nada mais convincente do que o ato prévio de estender a mão em direção ao seu inimigo para que ele tenha a chance de reconhecer a sua queda, mas deixe claro que, se preciso for, você enfia a espada.


À esta altura do texto, você deve estar se perguntando: Como fazer para aprender a arte da negociação?


Eu poderia dizer, sem medo de errar, que a vida ensina, mas esse aprendizado pode ser mais célere e melhor aproveitado quando buscado. Afinal, sabedoria buscada é melhor do que sabedoria achada. Concorda?


Eu me considero uma boa negociadora em virtude da profissão que escolhi para mim e do fato de que desde criança sou a criança safa, que dizia a verdade na dose cirurgicamente necessária, rs (zero modéstia, né?)


Mas, posso dizer que cresci muito na arte da negociação lendo livros diversos e aprendendo com os personagens (livros muitas vezes nem um pouco sobre negociação, mas cujos personagens precisavam negociar algo), assistindo filmes e séries no mesmo sentido. Aqui vão alguns exemplos: Vikings, The Walking Dead, Suits, How to get away with a murderer?, O diário de Anne Frank, filmes sobre a segunda guerra mundial, O Gambito da Rainha, filmes sobre julgamento, sobre pessoas que se destacaram, grandes mentes, livros de romance, para desvendar crimes... Ecletismo é tudo!


Te desejo, meu girassol, uma boa negociação! Somos seres essencialmente políticos, certo? Logo, precisamos dessa arte para vivermos com dignidade e ganharmos umas causas judiciais sem precisar pedir o auxílio do Poder Judiciário.


Um beijo!


Fonte da imagem: https://br.vida-estilo.yahoo.com/site-de-xadrez-cria-robo-que-simula-protagonista-de-o-gambito-da-rainha-140002812.html

9 visualizações0 comentário