Então é NATAL



A festa cristã, que todos nós estamos habituados a festejar, mesmo não profetizando a mesma fé,tem uma história curiosa, quer conhecê-la melhor?


Todos nós bem sabemos que o Natal ou Dia de Natal é um feriado e festival religioso cristão comemorado anualmente em 25 de dezembro para celebrar o nascimento de Jesus de Nazaré, mas o que poucos sabem é que originalmente esta data era destinada a celebrar o nascimento anual do Deus Sol no solstício de inverno no antigo Império Romano.


Mas o que era esse tal de Deus sol?


Também chamado de Sol invicto cultuado pelos romanos desde o imperador Aureliano, era uma das três divindades cultuadas na Síria também associada a Mitra do Mitraísmo que foi uma religião de mistérios nascida no século II a.C no Império Romano e forte concorrente do cristianismo. Quero dizer, em palavras simples, que era uma divindade que já simbolizava o sol, pelo qual Jesus veio também associado.


É bem curioso a associação do Sol e suas características (luminoso, poderoso, central) com o Deus ou os deuses. De fato, o Sol é um arquétipo do luminoso personificando frequentemente entidades divinas. Estas deidades solares são encontradas ao longo da História escrita em várias formas, desde o antigo Egito, passando por Roma e as civilizações Inca e Asteca. Nomes como Hórus, Mitra, Hélio, Apolo, Savitar e Sabeu são bastante citados nas culturas antigas e compõem essas entidades divinas solares.


Assim como Jesus, essas divindades solares são apresentadas com qualidades do arquétipo luminoso em contraposição à sombra. Vale lembrar que segundo a psicologia analítica Junguiana, ambos correspondem à aspectos da nossa psique.


Complicou? Vamos Facilitar.


Retomemos a imagem do Sol. O que ele representa? É comum pensarmos em alegria, vida, energia, força, rei, chefe ou centro. Afinal, o sol é o astro principal, sem o qual não haveria vida na terra, uma fonte eterna de luz. Portanto, é o TODO.


Não obstante temos a frase Cristã e bíblica onde Jesus diz “ Eu sou a LUZ do mundo, quem me segue não andará nas trevas”.


Esta é a energia Natalina: alegria, vida e luz! A cidade toda é invadida pelas luzes, cores vívidas como o vermelho, símbolo da paixão e do amor, o branco da paz e o verde da esperança. Em conjunto com essa tradição fomos acrescentando ritos e festas, comidas, figuras como o Papai Noel, lenda que pode ter se baseado em parte em contos originados do velhinho que dava presentes, o São Nicolau, e que encontramos semelhança no folclore grego e bizantino, momento escolhido para trocas de presentes.


O que encanta é saber que em toda e qualquer tradição ao longo dos séculos e em diversos territórios e culturas distintas, encontramos os símbolos da luz e do Sol presentes, sempre sendo cultuados. Esse aspecto luminoso não está somente fora, não é apenas uma forma de agradecer ao Sol, mas uma metáfora do nosso interior.


A luz, o Natal, o nascimento de Jesus, o Deus Hórus, Mitra e tantos outros, são formas de trazer à tona os símbolos da nossa psique. Estes aspectos estão relacionados ao nosso Ego e representam a busca do ser humano pela expansão da própria consciência.


A expansão da consciência é uma ampliação das percepções que a pessoa tem sobre si e sobre o seu ao redor, ajudando-a a perceber que sua existência não se resume apenas ao Ego, central, luminoso , sábio, pacifico, divino e eterno, mas que é composto por muitas camadas. Começa este caminho de autoconhecimento a partir da compreensão do porquê pensa e se comporta de determinada forma.


A tal famosa anamnese ou preparação para o confessório católico segue um rito de autoconhecimento, da busca pela compreensão mais ampla de sua própria existência. Pois bem, a famosa reflexão é momento de relembrar tudo que aconteceu neste ano, o que precisa guardar, jogar fora, reciclar e todos os aprendizados que colhemos.


​Esta postura reflexiva leva a fortes mudanças. A existência deixa de ser um acaso, algo a ser empurrado com a barriga, ou uma construção repetitiva de padrões adotados socialmente sem nem sequer perceber.


Expandir a consciência, ser Luz, assumir uma postura prática do sentido do Natal, é, então, deixar o automatismo e se tornar mais consciente de si mesmo. Esse processo nos leva a reconhecer que tudo é consciência, desde um elétron à toda galáxia, que estamos interligados e que somos seres multidimensionais; que nossos pensamentos, sentimentos e ações repercutem no nosso campo e na realidade fora de nós e que temos o livre arbítrio para continuar na ignorância, nas sombras, ou se iluminar para o conhecimento. Nos leva, acima de tudo, a nos perceber como mestres e co-criadores de realidades melhores, pois deixamos o caráter de vítima para assumirmos um papel importante na construção da equação da vontade do Todo.


O Arquétipo do Luminoso nos convida a acessar a inteligência cósmica que organiza os mundos, de forma a promover maior clareza e nos fornecer mais energias para realizar nossos sonhos, objetivos e assumir nosso propósito maior na existência.


Portanto, abracemos essa energia cósmica de transmutação e permitamos que a luz natalina preencha nosso campo mental e nos ajude a aprender e a expandir, a sermos seres mais conscientes, criadores de realidades melhores e tenhamos a energia suficiente para a luta. Afinal, o Todo Poderoso, o Deus Sol, os astros dos astros, muito precisa de nós para continuarmos a bem gerir nossa vida na Terra, nosso estar em comunidade e transformar a tristeza em alegria e as trevas em Luz.


Pois é, o Covid-19 sacudiu todos nós e nos retirou de nossas zonas de conforto; no entanto, cabe a nós, individualmente, colher os aprendizados, evoluir e ter essa percepção que somos partes construtoras de nossa humanidade, pois estamos todos interligados e… para finalizar é claro, não poderia esquecer, ninguém solta a mão de ninguém! Ops! Com o covid em cena, aprendemos a não invadirmos o espaço de ninguém, afinal existe um limite de dois metros um dos outros a ser respeitado, pois onde há amor há limites.


Um Feliz Natal a todos e que a Luz faça de fato entrada na sua vida consciente!

Transforme-se!

Respeite!

Ame!


Link da imagem: https://www.elo7.com.br/deus-apu-inti-toalha-p-taro-runas-baralho-cigano-buzios/dp/B85C63



21 visualizações0 comentário