top of page

GOOGLE IMAGENS E YOUTUBE, TECNOLOGIAS QUE NASCERAM POR CONTA DA EXIBIÇÃO DO CORPO FEMININO



Uma talentosa atriz resolve usar um vestido lindo e sexy. Uma incrível performer finaliza seu espetáculo e sua roupa apresenta um defeito que expõe seu corpo.


Eram dois corpos femininos em seus lugares de brilhar e mostrar-se ao público, mas que, na nossa estrutura machista e patriarcal, tiveram suas vidas completamente transformadas - negativamente…


Por outro lado, homens da área da tecnologia lucraram MUITO com esses eventos, ao perceber na situação uma oportunidade de negócios. Acreditem: o Google imagens e You Tube nasceram por conta de dois episódios da mídia mundial envolvendo Jennifer Lopez e Janet Jackson, respectivamente.


No caso JLo, houve um pico de buscas, até então inédito, no Google ao ponto de seus técnicos criarem uma aba exclusiva de imagens para facilitar o acesso das pessoas à imagem do decote da atriz.


Para Janet, era sua apresentação no Super Bowl e, ao final do ato, o cantor Justin Timberlake tiraria uma peça de sua roupa que, por conta de erro, saiu mais do que necessário, expondo seu seio na TV Nacional. Mais uma vez, homens de negócios perceberam a ânsia das pessoas em rever a cena e foi criado o site de vídeos, You Tube.


Mas o que aconteceu com essas mulheres após o incidente?


De acordo com o documentário “Halftime”, o incidente contribui para aumentar o estereótipo que a cantora Jennifer Lopez carrega a anos de de ser apenas um corpo “sexy e desejado”, deixando de lado sua potência vocal, seu impressionante talento para performar e sua capacidade como atriz.


Para Janet Jackson, as consequências foram muito piores, sendo sua carreira completamente prejudicada:


“Para se ter ideia do estrago que o evento, batizado de #NippleGate, causou na carreira de Janet Jackson, suas músicas foram banidas de emissoras de rádio, seus clips deixaram de ser exibidos na MTV e sua participação foi excluída do Grammy, a premiação máxima da música em todo o mundo.”


Tudo isso porque o corpo feminino é um objeto de posse pública, seja pelo desejo carnal de desfrutá-lo, seja pelo controle da sua sensualidade e sexualidade. Se houver um esforço da nossa parte, vamos perceber que esses eventos não precisavam ter sido tão polêmicos e dignos de atiçar a mente e curiosidade humana ao ponto de balançar o mundo das tecnologias e criar novas ferramentas.


Mas, foi isso o que aconteceu e fica aí a lição de termos mais sabedoria e discernimento ao lidar com o corpo feminino, especialmente com o exercício de não o olharmos como algo que deve responder às nossas expectativas e necessidades. Enfim, espero que muitas novas tecnologias surjam, mas que o motivo da criação delas não seja por conta da visão machista que temos sobre os corpos das mulheres.


FONTE:




36 visualizações1 comentário

1 Comment

Rated 0 out of 5 stars.
No ratings yet

Add a rating
carlosobsbahia
carlosobsbahia
Apr 28, 2023

Um erro numa apresentação causou banimento de rádios e emissoras? Meu Deus!!

Like
bottom of page