top of page

O OSCAR É UMA FARSA!!!!! O VENCEDOR DE MELHOR FILME JÁ ESTÁ PREDEFINIDO



O Oscar está chegando aí, com os pés praticamente na esquina. Em 12 de março temos a maior premiação de cinema que o mundo já viu, conhecida por qualquer um, não importa a idade, gênero, cor ou classe. Até o simples gesto de ser nomeado em uma de suas vinte e três categorias, é motivo de festa, até mesmo uma honra que muitos gostam de estampar em futuras divulgações (Filme X, Y ou Z: vencedor ou nomeado ao Oscar de...). O Oscar não é apenas uma reunião de pessoas em torno de uma estatueta esquisita, mas um verdadeiro evento mundial, um ícone.


Como o Oscar é uma cerimônia de grande porte, imponente e em escala planetária, com mais de 16 milhões de espectadores, parece que seus critérios de análise são objetivos, científicos, evidentes. Se filmes são indicados ao Oscar, ou chegam até mesmo a vencer a disputa, significa que são os melhores disponíveis, certo? Errado!!!! (e não digo isso apenas porque um dos meus filmes preferidos, "O farol", foi completamente esnobado pela academia em 2020¹).


Embora os candidatos sejam eleitos por membros especialistas, figuras do próprio meio cinematográfico (diretores, atores, editores, etc, etc), ainda assim a objetividade do Oscar pode, e até deve, ser questionada. Seus membros, em sua maioria, são velhinhos de cabelos e peles brancas, muitos nostálgicos e inclinados a certos temas, independente da qualidade técnica das indicações. Por exemplo, filmes metateóricos, envolvendo os bastidores da indústria cinematográfica, como “O Artista” (2012) ou “Birdman” (2015), ou filmes históricos e biográficos, como “12 anos de escravidão” (2014), “Argo” (2013), “Spotlight” (2016), apresentam uma vantagem incomparável com outras produções. Eles parecem trazer um tipo de diferencial embutido, uma espécie de selo inevitável.


Provavelmente você já ouviu falar do filme “The Fabelmans”, dirigido pelo aclamado diretor Steven Spielberg. A obra combina duas das grandes tendências no Oscar, duas fórmulas previsíveis de sucesso (a metateoria e o enredo biográfico-histórico). Sem dúvida, é impossível prever o futuro, ninguém aqui tem bola de cristal, mas tudo indica que esse filme vai levar o maior premio da noite (Best Picture). De todas as edições do Oscar, ao menos aquelas da minha memória, eu não lembro de ter sentido tanta previsibilidade no ar. A nostalgia dos avaliadores é visível desde sempre, com uma inclinação óbvia à narrativas metateóricas e biográficas (históricas). Outras produções, por melhores que sejam, infelizmente são deixadas de lado.



Casos como “Parasita”, vencedor de melhor filme em 2020, além de outras categorias, são raridades na história do Oscar. Ele foi um verdadeiro ponto fora da curva, principalmente porque o filme de Bong Joon-Ho concorria com grandes obras “metateóricas” (era uma vez em hollywood) e histórico-biográficas (1917, Ford x Ferrari). Essa quebra de expectativa causada por “Parasita” pode até se repetir esse ano, não nego essa possibilidade, mas tudo indica o contrário, ainda que grandes filmes, como “Tudo em todo Lugar ao mesmo tempo” e “os banshees de inisherin”, façam parte da disputa. Enfim, vamos aguardar as próximas surpresas do Oscar...


¹ O Filme "O Farol", dirigido por Robert Eggers, foi indicado apenas ao prêmio de melhor fotografia



Referências das imagens:


https://www.aicinema.com.br/e-o-oscar-vai-para/

84 visualizações2 comentários

2 Comments

Rated 0 out of 5 stars.
No ratings yet

Add a rating
Rated 5 out of 5 stars.

Eu perdi há tempos a vontade de assistir o Oscar por conta dessa previsibilidade... Tem apostas para melhor ator e atriz?

Like

carlosobsbahia
carlosobsbahia
Feb 28, 2023

"Crash - no limite" também foi bastante inesperado (venceu Brockbeck Moutain),mas concordo com a previsibilidade,na maioria dos

Like
bottom of page