Seu lugar é onde você desejar estar: reflexão acerca do assédio moral no ambiente acadêmico

A Universidade é um lugar de conhecimento, simboliza toda riqueza da sabedoria, conhecer, descobrir, questionar-se, pensar e refletir. Somos diferentes dos animais justamente porque nos perguntamos o porquê. Mas como todo ambiente composto por seres humanos, onde há luz, há sombras.


Sempre fui apaixonada pelo ambiente acadêmico, fascinada pelos livros postos em conjunto, seja em uma biblioteca ou organizados em prateleiras de salas de professores. Aquele barulhinho de ar-condicionado nas salas de pesquisa me dava frenesi. Os livros sejam didáticos ou não me davam ânsia, os lia por antecipação, desejando saber o que pensavam, o que existia, como as pessoas viviam em outros lugares e como viveram em outros tempos, de que o universo e nós humanos somos compostos. Toda teoria era incrível, embora sempre duvidasse de tudo, com fundamentação obviamente, afinal, tudo são formas de ver. Essa é a beleza do estudo e sempre fui apaixonada por ele.


Se identificando ou não comigo, concordemos que muitos querem adentrar as universidades, seja para ganhar mais dinheiro, respeito, renome ou para aprender mais. Embora as dificuldades existam a universidade para uns é também um sonho, uma realização e um lugar que nos dá uma sensação eufórica de liberdade e autonomia. Para o sistema opressor e tradicional, a universidade é balburdia, o conhecimento é um perigo e o saber ameaça a facilidade de condução de um povo.


Não há dúvidas de que, quem cursou uma ou cursa, sabe que a universidade é muito poderosa e de fato corresponde um risco a um sistema opressor e dominador. É lá onde as coisas acontecem, onde os questionamentos surgem e aprendemos a desconstruir o muito do que fomos construídos. O que assusta uns, enlouquece de amores outros.


No entanto, venho vos falar de uma questão delicada. Uma certa opressão que está em todos nossos ambientes sociais, mas venho trazê-lo presente na Universidade. O lugar que hipocritamente não é para todos, embora deseje ser, é também ele um sistema opressor. Isso não induz a ideia radical de que acabar com ela seria a melhor forma, afinal, poderíamos também entrar no mérito dos discursos contra a humanidade. Acabar com o ser humano seria então a solução. Não busco soluções, nem julgamentos, porém vos chamo a reflexão de um assunto que muito pesa sobre os ombros dos estudantes de graduação e pós-graduação das universidades públicas.


O assunto aqui é assédio moral nas universidades, sim, o assunto é sério e não se trata de mimimi. Por outro lado, o assunto é SÉRIO, não formas de vitimização e safadeza humana, o que infelizmente acontece. No entanto, como me centro nas universidades públicas que acabam tendo maior poderio e torna professores quase Deuses, o caso a se tratar é do aluno sendo vítima de assédio moral por parte de professores e, ou, de orientadores.


A temática, felizmente, vem sendo bastante discutida nos últimos anos e até conhecemos processos, afinal, assédio moral é crime. Tais denúncias geraram uma redução bastante considerável dessa horrenda prática em ambientes acadêmicos. Porém, cabe dizer que estamos apenas no começo. Assédio moral é crime e precisa ser considerado como tal.


Vamos esclarecer? O que é assédio moral?


Segundo a enciclopédia jurídica da PUC de São Paulo, assédio moral se caracteriza por toda conduta praticada pelo superior hierárquico por meio de ações repetitivas que atinjam a moral, a dignidade e a autoestima da vítima, sem qualquer motivo que lhe dê causa, apenas no intuito de fazê-lo desistir de sua função, acarretando danos físicos, psicológicos e morais. Por muitas vezes essa agressão é feita sutilmente por meio de humilhações, brincadeiras, rebaixamento e, sendo, na maioria das vezes, velado, se torna mais difícil da vítima se defender.


Muitos são os casos de adolescentes por muitas vezes pertencente a uma classe social desprivilegiada que enfrentam tais tipos de comportamentos nas universidades federais, principalmente mulheres, negros e gays. Toda nossa sociedade validou expressões de opressão à grupos considerados minoritários, desprivilegiados e, portanto, dotados de incapacidade intelectual para pertencer a certos ambientes, como no caso, o acadêmico. Repito apenas os absurdos argumentos de quem defende seu crime.


Você mesmo, neste exato momento, pode estar se lembrando de ter sido vítima de um assédio moral dentro do seu curso na universidade. Quantas vezes o seu professor ou orientador aproveitou de uma teoria ou de um assunto acadêmico, até mesmo de uma piada ou papo descontraído para te agredir moralmente?


Seguem algumas frases bastante comuns: “Você não é capaz! Você está se aproveitando da bolsa? O que tem feito durante seu final de semana? Você me cansa! Você é burro/ou burra? Isso é incompetência. Muito inútil! O que está fazendo aqui? Melhor voltar a cursar o primeiro semestre! Volte para a escola! Como conseguiu entrar na universidade? Cotista né? Assim você não vai chegar a lugar nenhum! Você não nasceu para isso! Você tem alguma deficiência intelectual? Desista! Esse não é o seu lugar. O que é isso aqui? Não sei mais o que fazer contigo! Você não escreve, vomita. Ninguém te ensinou como fazer? Você realmente estudou esse assunto? Quer que eu acredite nisso? Que vergonha! Você deveria estar envergonhado de estar aqui. Desculpa, a minha orientanda não sabe o que diz. Alguns só conseguem isso.”


Sinto dizer, mas essas frases não são críticas e muito menos construtivas. Um professor não pode usufruir de seu cargo para sabotar a aprendizagem e diminuir e agredir seus alunos através de humilhações, incumbindo sentimento de culpa e de incapacidade, afinal, essa figura muitas vezes modelo, tem poder para destruir sonhos e desejos.


Ninguém tem o direito de te dizer onde você deve estar e qual o seu lugar. O seu lugar é onde você deseja estar. Estas frases ditas não se qualificam como opinião, são violências, humilhações e desqualificações extremamente graves. Ninguém tem o direito de se apropriar de um cargo de poder para oprimir e validar suas prerrogativas criminosas. Precisamos denunciar tais atitudes, não tê-las e principalmente se proteger delas!


Tais frases perfuram a alma, destroem a autoestima, afeta o psicológico, causam doenças físicas e mentais de muita gravidade em um estudante de tal forma que o impossibilita de seguir adiante. Talvez esses “queridos” professores e orientadores o queiram, estejam neste lugar no intuito de maltratar, mas não podemos permitir que continuem usando seus cargos para exercer tal crime. O lugar de criminosos não é a cadeia?


Qual crime você comete?


Não podemos mais continuar aceitando tais crimes como opinião. Opinião se pede não se dá. Ninguém pode interferir na existência de outra pessoa muito menos para desvalidá-la. Limites existem para serem cumpridos, se desculpas servissem não precisariam existir regras e leis.


Você que têm hoje profundas feridas por tudo que sofreu esses anos de assédio moral no seu ambiente acadêmico, que ao invés de ser luz se tornou escuridão, eu me compadeço, a minha dor saúda a sua dor. Não somos poucos e precisamos falar de todos os bloqueios que foram gerados durante esse processo de conhecimento que não é para ser doloroso. Isso é uma grande mentira que valida a provocação de dor.


Estamos em um ambiente que deveria nos proporcionar a liberdade, a autonomia e descobrir-se , aceitar-se e amar-se como somos, através da autoafirmação, da validação de nossos potenciais. Afinal, fazer uma faculdade é nos proporcionar um conhecimento que daremos de retorno ao mundo que precisa de nós e de nossa capacidade intelectual. Não permita mais que as agressões venham te limitar hoje! Você não nasceu para estar ou ficar onde qualquer pessoa te determine.


Ressalvo, e o que fazemos quando essa determinação se torna interna? Quantos assédios morais acumulados se transformaram em traumas, bloqueios e empecilhos? O que acontece quando a crença negativa sobre si mesmo é assimilada e você passa a crer nas mentiras que te contaram repetidas vezes? Tanta lavagem cerebral bombardeando seu cérebro, tantas situações de exposição e de humilhação, tantas pressões e agressões verbais aconteceram que o seu subconsciente te paralisa no intuito de te proteger e te faz evitar o seu sonho, a sua ambição, as suas motivações. Adoecemos e nos tornamos o nosso próprio ditador, nos autolimitando e nos ordenando não ir a lugar nenhum, já que você hoje crê que aquele lugar que nunca te aceitaram, não é permitido ocupar.


A pior das agressões morais são as autoagressões construídas através de anos de opressão, dor, desvalidação e destruição da autoestima. Nascemos com uma estrutura mental saudável e o mundo aproveita para entupir você de tanto lixo que fica difícil dar um passo a mais. Rousseau tinha razão não é mesmo? A sociedade deturpa o homem e o retira de toda sua natureza saudável. Mas como não somos tábula rasa e naquela época nosso querido filósofo não sabia disso, somos dotados de condições mentais e estruturais para romper as barreiras que a sociedade construiu para nós e que as tornamos reais.


Quero te dizer agora que se você já oprimiu e oprime uma pessoa com essa atitude, você não passa de um(a) criminoso(a) e chegou a hora de pagar, se redima de seus males e se torne uma pessoa consciente e melhor. Provavelmente encare-se, olhe para a sua dor, afinal, você deve guardar também muitas auto opressões.


Se você sofre essas opressões, denuncie, lute contra tudo isso. Não permita que se repita e sobretudo não creia nestas palavras! Se fortaleça interiormente para que esses golpes não acabem com seu escudo. Negue as opressões e se diga palavras de validação. Aguente firme, porque os goles não serão poucos. Quanto mais seguramos firme, quanto mais nos mostramos fortes, mas os criminosos insistem, a glória deles é fazer de você sua próxima vítima.


Se você já sofreu e hoje se libertou, eu te dou parabéns e digo, estamos junto, força, continue lutando. Se você já sofreu e hoje está paralisado, desmotivado, cansado, triste e se sentindo desmerecedor e incapaz, chegou a hora de dar de volta o que te deram, deixe com teus agressores as crenças deles sobre você, não as absorva. Valide-se, porque não há nenhum lugar determinado para ti nessa existência senão aquele que você nasceu com ímpeto de conquistar.


O seu lugar é onde você quer estar e tome posse do que é seu. Assuma suas limitações e faça dela a sua força, reconheça seu brilho e faça dele seu farol. Levante-se e prove para o mundo que ele não tem razão. Prove para si mesmo que você nasceu para vencer e que você já é linda ou lindo do jeito que você é e sim, essa vida é a melhor que você tem, faça bom uso dela. Brilhe! O mundo precisa muito de sua luz e se você não ocupar o lugar que é seu por direito, ninguém poderá fazê-lo. Aprenda uma coisa, você é LINDO ou LINDA do jeito que você é, e não há melhor você do você mesma(o). Então convido-te a nos unir em brilho, porque somos estrelas e nascemos para iluminar a escuridão da galáxia.


Para finalizar eu convido à você a refletir essas palavras ditas pela cantora Alessia Cara Cicatrizes Na Sua Beleza



Ela só quer ser bonita


Ela passa despercebida


Ela não conhece limites


Ela implora por atenção


Ela idolatra uma imagem


Ela reza para ser esculpida pelo escultor



Oh, ela não vê a luz que está brilhando


Mais profundo do que os olhos conseguem enxergar


Talvez nós a tenhamos cegado


Então ela tenta esconder sua dor


E afastar suas inseguranças


Porque modelos não choram


Com a maquiagem feita, mas



Há uma esperança te esperando na escuridão


Você deveria saber que é linda do jeito que é


E que você não tem que mudar nada, o mundo poderia mudar de ideia


Não há cicatrizes na sua beleza


Nós somos estrelas e somos lindas



Ela sonha em ser invejada


Então ela passa fome


Você sabe, modelos não comem nada


Ela diz: Beleza é dor e há beleza em tudo


O que é um pouco de fome?


Eu poderia ir um pouco mais além


Ela desaparece



Ela não vê que é perfeita


Ela não entende que ela vale a pena


Ou que a beleza vai além da superfície, oh, oh, oh, oh


Então para todas as meninas que estão sofrendo, me deixem ser o espelho de vocês


Ajudá-las a ver um pouco mais claramente


A luz que brilha dentro de vocês



Há uma esperança te esperando na escuridão


Você deveria saber que é linda do jeito que é


E que você não tem que mudar nada, o mundo poderia mudar de ideia


Não há cicatrizes na sua beleza


Nós somos estrelas e somos lindas



Não há melhor você do que você mesma


(Não há melhor você do que você mesma)


Não há vida melhor do que a vida que estamos vivendo


(Não há vida melhor do que a vida que estamos vivendo)


Não há melhor tempo para brilhar, você é uma estrela


(Não há melhor tempo para brilhar, você é uma estrela)


Oh, você é linda


Oh, você é linda.



Foto de capa: <https://i.etsystatic.com/9756622/r/il/d0d640/1875977741/il_794xN.1875977741_996d.jpg>