top of page

AS PESSOAS TE TRATAM COMO VOCÊ SE TRATA ?



A grande questão desta afirmação, "As pessoas te tratam, como você se trata", é que muitas vezes estamos em um relacionamento tóxico e abusivo conosco, mas por ser desse modo, não enxergamos, nós nos veneramos ou somos nossos primeiros algozes e temos uma imagem equivocada de nós mesmos. Como anda sua relação com você?


O que causa dificuldade em responder essa pergunta, muitas vezes, é o olhar equivalente entre duas pessoas dentro de si (você e o espelho), mas além de serem mais que uma, nunca é equivalente.


Você tem seu Ego, a identidade, o regulador, aquele que está aí para assumir responsabilidades e ajudar no processo do Eu em se identificar e se formar enquanto uno. Em seguida o SuperEgo, essa voz que tenta mediar conflitos entre você e o outro, ou melhor, a imagem do outro que não eu, e temos o ID, a nossa criança interior, a mais ingenuamente possível desprovida de reguladores.


Fica aqui um adendo, esta é a minha leitura filosófica de acordo com a linha freudiana da psicanálise que, de acordo com a matéria "Partes da mente" humana, do site psicanálise clínica, estabelece duas divisões topográficas da mente. A primeira seria a divisão entre os níveis consciente, pré-consciente e inconsciente, e a segunda divisão se daria entre Id, Ego e Superego. Nota-se que, de acordo com a teoria estrutural da mente, essas topografias transitam entre si mesmas, ou seja, não são elementos estáticos ou estruturas completamente rígidas.


Me aproprio delas, considerando-as apenas uma forma didática de conceber a mente humana e nossa auto relação. Embora a teoria freudiana seja complexa e para poucos, serei superficial e a usarei como metáforas para minha análise e reflexão. No entanto, ainda recorrendo a fontes mais seguras, é importante ressaltar o papel do Ego que venho trazer como o central, cito:


“O Ego mantém o equilíbrio entre esses dois lados tão distintos. Como uma espécie de balança mediadora, ele avalia as vontades do Id e do Superego, para chegar, muitas vezes, a um meio termo. Assim, nós nos mantemos na vida em sociedade, sem nos comportarmos como um “animal irracional”, mas também, sem “pensar demais sobre tudo”. Ou seja, mesmo quando nos comprometemos a não comer um doce, por exemplo, por vezes, nos damos esse pequeno prazer, por saber que irá nos ajudar psicologicamente.” (Id, Ego e Superego: Três Partes da Mente Humana)

As vejo, de forma simplória como uma relação familiar entre a Mãe (o Ego), conciliadora, harmonizadora, estruturadora, o pai (Superego), autoritário, que impõe limites, impositivo, prático, organizador, regulador, e a criança (ID), impulsiva, ingênua, sonhadora, intensa, agressiva, criativa, imaginativa, egoísta, birrenta ou dengosa, carente, ou seja, puro instinto.


Deixando tudo mais complexo, eles transitam no consciente e no inconsciente, ou seja, no que você tem ciência de existência e consegue identificar em si mesmo e o amontoado de elementos do inconsciente que guardados nesse HD para não te sobrecarregar, guarda informações não acessadas.


Não posso ignorar o outro elemento que vive dentro do inconsciente, falando de maneira bastante didática, pois não se trata de separá-los por caixa. Este outro elemento desenvolvido pelos estudos da psicologia analítica de Carl Gustav Jung, chama-se inconsciente coletivo.


Simploriamente, esta seria a área que guarda as informações arquetípicas, imagéticas, simbólicas do aspecto cultural e da sabedoria popular de todos nossos ancestrais e de certo ponto, conectado a um todo. Ela é a imagem de uma única raiz que nos une como iguais em nossas formas genuinamente animais. Tal como a imagem da conexão pelo cabelo com Ewa em Avatar, estaríamos em consonância com o TODO.


Porém, se já é difícil passarmos pelo estádio do autoconhecimento imagina como seria adentrar em níveis ainda mais superiores, pois bem, contentemo-nos com nossa simples tridimensão ( Ego, Superego e ID) que já é bastante difícil de lidar.


Após te encher de tanta informação que provavelmente não tenha feito sentido nenhum, vou trazer de uma forma muito mais simplória a reflexão de como você anda se tratando. É duro dizer que somos tratados como achamos que merecemos, a questão é que não é claro saber o que fazemos conosco como pensamos ser. Às vezes achamos que estamos nos tratando bem e cuidando de nós porque não sabemos o que isso significa.


De repente, estamos reproduzindo os clichês da mídia: fazer esporte, comer saudável, cuidando-se esteticamente, se entupindo de prazeres; mas na verdade só estamos nos mimando, um Ego e um Superego ( os pais) fazendo tudo que a criança (ID) pede.


No entanto, se lembre que a criança se contenta com uma única coisa, preciosa, que não sabemos o que é nem como dar, o Amor. É muito difícil entender o amor em uma sociedade tão tóxica e abusiva que nos faz desejar e buscar relacionamentos de dependência e dominação, em busca de se submeter a alguém ou de sobrepuja-las.


(continua)


Referências:


Site: https://www.psicanaliseclinica.com/id-ego-e-superego

Imagem:https://www.google.com/imgres?imgurl=https%3A%2F%2Flookaside.fbsbx.com%2Flookaside%2Fcrawler%2Fmedia%2F%3Fmedia_id%3D2122801797803827&tbnid=LW-DerD5po25YM&vet=12ahUKEwj4pOWHs5OAAxXaN7kGHaLSB0UQMygGegUIARDQAQ..i&imgrefurl=https%3A%2F%2Fm.facebook.com%2Fresistapreta%2Fphotos%2Fse-amar-%25C3%25A9-um-processo-um-dia-de-cada-vez-casa-dia-um-pouquinho-resistapreta-ilus%2F2122801797803827%2F&docid=fgi0LbN8SLEw6M&w=1080&h=1080&itg=1&q=o%20processo%20de%20se%20amar&ved=2ahUKEwj4pOWHs5OAAxXaN7kGHaLSB0UQMygGegUIARDQAQ#imgrc=LW-DerD5po25YM&imgdii=bRa9WAij6Aox5M

40 visualizações1 comentário

1 Comment

Rated 0 out of 5 stars.
No ratings yet

Add a rating
Marcos Lima
Marcos Lima
Jul 18, 2023

Interessante, gostei da reflexão.

Like
bottom of page