Carta aos músicos





Antes de começar a ler esse texto, você deve saber que ele foi escrito no dia 22 de Novembro de 2021. Ou seja, na data em que é comemorada o dia do músico.


E porque eu resolvi fazer esse texto? Por conta dessa imagem que apareceu para mim. Você provavelmente irá vê-la na capa da coluna. Eu tenho 23 anos, ou seja sou um músico novato. Mas, essa postagem que ilustra o texto de hoje, veio de um pai de família que ganha dinheiro com a música.

Ele é um dos inúmeros músicos com o tempo de estrada equivalente ao que eu tenho de vida. Um dos muitos que falam sobre a persistência de viver de música, enquanto várias pessoas duvidam disso. E, sinceramente, essa dúvida que parentes e amigos podem colocar em cima da profissão artística, as vezes, nos abate muito, principalmente em época de crise econômica. Infelizmente sabemos que por conta da pandemia, o setor de arte está a dois anos sem lucrar, começando a reaquecer agora, pós vacina.


Os dias que antecederam meu 22 de novembro oscilou entre ser estimulado e ser desestimulado. Eu ouvi sobre parentes comentando sobre o fato “de eu não trabalhar” ou “não fazer nada da vida”, detalhe, o familiar em questão disse isso para um alguém que o contratou por minha indicação, o recomendei no intuito de ajudá-lo já que o setor que ele trabalha também está passando pela crise financeira atual. Também, nesses dias que antecederam, ouvi, de parentes, incontáveis vezes, que eu deveria trabalhar em alguma loja para “ter o meu”, pois estou ganhado pouco como músico.


Isso machuca, mais do que se imagina. Pois, a coragem para trabalhar com arte é algo que todo músico se orgulha. Mas, ouvir coisas desse tipo pega no íntimo, nos faz sentir impotentes e encostados, o que não é verdade.


Mas sejamos justos. Também ouvi de músicos bem sucedidos que eu deveria persistir, pois, já passaram por isso. Vi nos olhos de pessoas que realmente acreditam no que eu faço de que essa fase vai passar. E algumas delas, embora não sejam muitas, me ajudam muito a continuar nesse caminho arenoso que é o viver de arte.


Para essa galera que ainda aposta em mim, fica minha gratidão. Pois, o incentivo é essencial para continuar. Felizmente, apesar das adversidades, o cenário do trabalho musical atual de fato está melhorando. Pouco a pouco, estou tendo minha vida de volta e sinto que o resultado de sucesso na minha carreira tende a ser melhor do que antes da pandemia.

Sei que muitos só conseguem absorver o que o primeiro grupo fala. O lado negativo, os julgamentos. E, convenhamos que existem mais pessoas para apontar o dedo do que para dar a mão. Sei que muitos se aproveitam do fato deu ser um músico “cheirando a leite”, já que existe o fator de não saber o que está por vir e o medo do fracasso profissional.


Não posso ser hipócrita. A carreira na música é de fato incerta, como já falei em textos anteriores. Mas, quando o medo bate, me lembro das pessoas que estão aí firmes e fortes.


Me inspiro nos artistas famosos que têm seus nomes reconhecidos e artistas que, mesmo sem atingir a fama, alcançaram o sucesso no mercado fonográfico e hoje vivem a vida que sempre sonharam. Não posso esquecer que um dia muitos deles estiveram no meu lugar, mas que hoje acordam diariamente sabendo que fazem o que amam, enquanto que vários que desistiram se arrependem por não ter tentado e não se sentem realizados na carreira a qual escolheram.


Penso em quem segue acreditando no que faz, seja nos palcos, nos estúdios ou em que lugar for. O importante é ter consciencia de que muitos que estão aí também passaram por épocas de vacas magras e, de alguma forma, conseguiram superar essa fase ruim, acreditando em si mesmos. Mas acreditando de verdade, levando a sério, pois não é brincadeira a vida que levamos.


Encerro aqui minha “carta aos músicos", mas que pode se aplicar a demais artistas que, assim como eu, passaram o dia 22 de novembro, dia do músico, com o peso da descrença nos ombros. Essa carta é sobretudo para os que estão desgostosos com o momento atual, porém, apesar das adversidades, também acreditam que tudo isso vai melhorar. Afinal, como muitos solos ao vivo, a vida é feita de improvisos!


Fonte da imagem: <https://www.recadopop.com/imagens/diadomusico/00029.gif>

26 visualizações0 comentário