Ei Saudade! Por que Marília Mendonça fará tanta falta?



Mamonas Assassinas, Ayrton Senna, Gugu, Ricardo Boechat e agora Marília Mendonça, esses são alguns nomes de ídolos nacionais que morreram de acidente, nos fazendo pensar sobre os mistérios da vida: por que dessa forma? Ainda tinha muita vida pela frente, tinha muito o que dizer e fazer.


Os mistérios da morte nunca iremos desvendar. Os mais religiosas irão dizer que era a hora certa, embora a gente não entenda os desígnios de Deus; outros não irão se conformar, mas nada poderão fazer; alguns dirão que a pessoa está em um bom lugar, está nos vendo e fazendo festa no céu (muitas vezes com outros artistas que já se foram). Pensar na morte de uma forma otimista nos traz um certo conforto, afinal, lidar com a finitude da vida e com a imprevisibilidade do cotidiano não é fácil para seres que detém consciência de si.


A morte de uma personalidade nos lembra da implacabilidade da vida e do fato de que não a controlamos, isso vem de forma coletiva, como um raio que atravessa a todos. Aquele ídolo de certa forma é alguém próximo da gente, porque faz parte do nosso dia a dia e perdê-lo dói demais, quando de repente, esse sentimento de tristeza se agrava.


Ainda que a pessoa não fosse fã de Marília Mendonça, dificilmente não a conhecia. Suas músicas tocavam em diversas festas, desde com a família até com os amigos, seu vizinho estava ouvindo-a, seu colega de trabalho postava vídeos nos stories do instagram com a música dela. Na sofrência do bar ou da balada lá estava a rainha do feminejo; como ficou conhecida a vertente feminina do sertanejo a qual Marília levou pelos confins do país, abrindo portas para o sucesso de Maiara e Maraisa, Simone e Simaria, Nayara Azevedo e outros nomes femininos que têm feito sucesso nesse gênero musical.


A cantora estava presente em lives, sua primeira, na pandemia, bateu recorde de visualização e foi um alento na casa de vários brasileiros que estavam confinados e angustiados com a covid, com a possibilidade da morte à espreita. Na televisão e em vários lugares que você olhasse Marília Mendonça estava presente, era uma pessoa familiar para a maioria dos brasileiros, se não atuava como uma grande amiga, uma irmã, uma prima, era uma conhecida que a gente via e ouvia em todos os cantos.


Marília era uma personalidade bem ativa nas redes sociais, o que a aproximava ainda mais dos fãs e do público em geral. Se outrora seria quase impossível o contato com os ídolos, hoje, as rotinas são escancaradas, estreitando os laços entre público e artista, criando uma ideia de conexão e familiaridade com o ídolo. Daí também o porquê de sua partida ter sido tão sentida, ela se comunicava muito com os fãs, de forma direta.