SERÁ QUE SIMONE BILES FRACASSOU?



A melhor ginasta da última década, Simone Biles, desistiu de competir em várias modalidades nas olímpiadas de Tokyo 2020, mas o que chamou atenção de todos foi o motivo: saúde mental. O que isso representa para o mundo? Biles foi corajosa ou fracassou em seu ato? Por que ela desistiu de uma das maiores competições da sua carreira? O que podemos aprender com a ginasta?


Biles começou a olimpíada na classificatória de equipes, não cravou alguns dos saltos efetuados e saiu do tatame. Erros comuns na ginastica, cometidos inclusive por atletas profissionais, mas não por Biles, pelo menos até agora em competição.


Ainda que recebesse notas acima das outras competidoras pelo nível de dificuldade dos seus saltos, era perceptível que as notas eram baixas para o nível dela. Mais do que qualquer pessoa, Biles sabia que podia fazer melhor. Poucos dias depois da classificatória, desiste de competir a maioria dos aparelhos, levando apenas o bronze na trave pelo individual e a prata por equipes.


O mundo esperava que Simone Biles levasse o ouro em todas as modalidades que competisse, pois é uma ginasta fora de série no auge de sua forma física. Na Rio 2016, se destacou no solo e nos aparelhos, levando o ouro em quase tudo.


Muito diferente daquele contexto, a olimpíada em 2021 foi no meio de uma pandemia, sem público e controlada. Na edição que ocorreu no Brasil, a atenção da mídia era dividida também para Michael Phelps e Usain Bolt. O fator pressão, por estar sozinha nos holofotes e ser exigida pela equipe e pelo público, provavelmente esquentou a cabeça da ginasta na edição de Tóquio, porém muitos veículos de comunicação têm apenas colocado isso como motivo único de sua desistência nos jogos.


Mais do que pressão por ser uma das maiores atletas dos últimos tempos e quebrar recordes, Biles sofre a pressão por ser uma mulher negra. Ali no ginásio ela representa uma comunidade e ao mesmo tempo é esperado que ela seja forte, não apenas por estar em uma competição, mas também porque culturalmente e historicamente as mulheres negras são colocadas nesse lugar de resistência, de aguentar a dor física e mental, o que não é verdade, afinal, Simone Biles tem fragilidades, traumas, tem histórias. Ela é humana, ainda que execute performances super-humanas no esporte que prática, até chegar ao seu limite.

Simone Biles estava tendo blackouts nos treinos e se perdendo nos movimentos, daí o fato de não cravar nas suas performances e sair do tatame. Ela vem perdendo sua noção de espaço, um fenômeno que é chamado de twisties. Biles já revelou ter TDAH (transtorno de déficit de atenção e hiperatividade), não sei até que ponto sua performance está ligada a doença.


Li algumas especulações - aqui gostaria de deixar claro isso-, que o Japão não teria deixado os atletas embarcarem com algumas medicações que são proibidas no país, o que estaria causando abstinência na ginasta ou ainda que ela teria parado de tomar as medicações por conta da competição, para não ser pega no doping.


Como eu disse, são especulações, mas ainda assim nos fazem refletir sobre o uso de medicação psiquiátrica para o bem-estar. Afinal, uma pessoa que tem uma doença crônica e precisa de medicação para executar suas atividades diárias, sendo de alta performance ou o contrário, não pode ter compulsoriamente a sua medicação retirada. Essa é uma atitude desumana, pois desencadeia o sofrimento psíquico e o agravamento da doença, podendo tornar, inclusive, a pessoa disfuncional.


Mas vamos pensar que o blackout de Biles não foi por conta da possível falta da medicação, mas sim por uma exaustão. Afinal, ela eleva seu corpo a máxima performance. Todos ao seu redor, principalmente o público, querem que ela esteja firme e forte, na sua melhor forma. Logo, seus treinamentos provavelmente são exaustivos. Com isso, não consegue mais estar feliz naquilo que lhe trazia bem-estar: a ginastica. Portanto, é provável que não faça mais sentido para ela estar nesse lugar em que só é cobrada, inclusive, por si mesma, não se sentido mais em paz.


Isso me impulsiona a refletir que as vezes estamos estagnados ou fazendo coisas por exigências do outro. Seguindo carreiras por pressão da família, estando em relacionamentos infelizes por pura pressão social, executando atividades para agradar outros, enquanto estamos sucumbindo a tristeza e ao desanimo. Nesse ritmo, de repente, sua mente começa a lhe dar sinais de que aquilo não está bom e você adoece, até ter um blackout, uma crise de pânico, uma crise de ansiedade, uma depressão, um surto e, então você precisa parar, se cuidar e descansar, para não se colocar em risco. Isso Biles fez muito bem.


Imagina cair de uma barra paralela e quebrar o pescoço, simplesmente porque sua mente desligou? Imagina cair no meio de um salto e ficar paraplégica ou tetraplégica sendo que seu corpo te avisou várias vezes para não dar aquele salto? Foi isso que Simone Biles fez, se precaveu fisicamente e psicologicamente, indo até onde deu. E aí está a coragem de Simone Biles e a sua vitória, porque ela sai mais vencedora do que se estivesse ganho todas as medalhas que esperávamos. Ela cuida de si.


Vi muitos veículos de comunicação falando que ela queria evitar a frustração, por isso não aguentou e desistiu, como se ela estivesse bem, porém com medo de perder as medalhas de ouro. Percebo nessa afirmação uma irresponsabilidade imensa que reflete a forma como tratamos a saúde mental; com pouco caso. Além disso, pergunto: não é muito mais frustrante ela ter desistido na eminência de conseguir o feito? Afinal ela poderia ter conseguido, mas preferiu recuar, para se preservar e se cuidar e quem sabe dar um salto maior no futuro, com segurança.


Mesmo próxima da sua conquista, das suas medalhas, Simone Biles, parou um pouco no caminho para descansar e tomar folego. Isso também impulsiona a reflexão de que não devemos ir com muita sede ao pote e que tudo tem seu tempo. Respeitar esse tempo não significa fracassar, mas sim obter mais foco, atenção, energia, saúde, maturação, conhecimento, para enfim concluir o feito, realizar o sonho.


O fracasso de Biles, em verdade, estava na cabeça das pessoas que esperavam que ela fosse uma super-heroína e, que não levaram em consideração suas necessidades humanas. Sua maior vitória além do autocuidado foi ter alavancado esse debate da saúde mental no esporte e na nossa sociedade. Podemos aprender com Biles que não precisamos ser aquilo que os outros querem que sejamos, ainda que seja difícil, inclusive para nós. Porém é possível passar pelos julgamentos com leveza.


Fico com a imagem de Biles torcendo pelas suas colegas de profissão, inclusive por Rebeca Andrade, com um semblante tranquilo. Aparentemente sem se sentir culpada por ter escolhido a si mesma. Afinal, ali, na arquibancada, ela torceu pelo sucesso das outras enquanto cuidava da sua lesão mental, essa contusão tão complexa e subjetiva.


Espero ver mais de Biles. Acredito que veremos nas próximas olimpíadas uma Simone Biles mais saudável e extremamente talentosa. Se não a vermos competindo, caso ela pare de vez, é porque esse é o melhor para ela. Quem sabe da gente somos nós mesmos e não deveríamos nos colocar em risco por causa de outros a nosso redor, ainda que a gente os ame. E como ela mesma disse: " há vida além da ginastica.". Há vida além de cobranças, além de status, além de recordes, além de dinheiro. Há vida!


REFERÊNCIAS


Dinálio Bulhões. A lesão de Biles. Via instagram @psiquiart. < https://www.instagram.com/p/CR2jvUFlQyy/> Visto em: 06 de agosto de 2021.


Simone Biles: o que leva um atleta a sofrer um bloqueio mental...<https://www.uol.com.br/esporte/olimpiadas/ultimas-noticias/2021/08/05/simone-biles-o-que-leva-um-atleta-a-nao-aguentar-mais-a-pressao.htm?cmpid=copiaecola>. Visto em: 06 de agosto de 2021.


Simone Biles diz que abuso sexual pode ter afetado desempenho na Olimpíada...<https://www.uol.com.br/esporte/olimpiadas/ultimas-noticias/2021/08/04/simone-biles-diz-que-abuso-sexual-pode-ter-afetado-desempenho-na-olimpiada.htm?cmpid=copiaecola> Visto em: 06 de agosto de 2021.


Simone Biles Shares Her Struggles With Dismounts. https://www.youtube.com/watch?v=mSIhj-858j4 Visto em: 06 de agosto de 2021.


Podcast “O assunto”; Simone Biles: Saúde mental primeiro. https://open.spotify.com/episode/4ksvSCBYdB1JqNusd0e99j?si=470539a0db4842fa Visto em: 06 de agosto de 2021.


IMAGEM DE CAPA


Lindsey Wasson/Reuters - 03.08.2021 ; via R7. https://esportes.r7.com/olimpiadas/ginastica-abraca-simone-biles-em-despedida-de-bronze-em-toquio-03082021#/foto/4 . Visto em: 06 de agosto 2021.