Netflix antenada: Abuso e estupro de mulheres em 5 séries



Momento brabo que estamos vivendo! As mulheres vêm sofrendo como nunca uma série de infortúnios – pra dizer o mínimo – sexuais, alimentados por notícias grotescas. Semanas atrás, um médico anestesista foi preso em flagrante após abusar – pra dizer o mínimo!! – de gestantes em trabalho de parto! O Fórum Brasileiro de Segurança divulgou números alarmantes sobre essa violência direcionada ao sexo feminino: em 2021, um estupro a cada 10 minutos e um feminicídio a cada 7 horas. Isso demonstra o exercício do poder do homem sobre os valores e o corpo feminino, agravados por um sistema de pensamento nefasto que cobriu o país de “esperança” em busca de uma “nova ética” que agora ocupa o Palácio do Planalto. Mas claro que isso não é determinante para um caso violento ocorrer, até porque esse assunto é uma preocupação universal, captado pelas telas de streaming e difundidos para todo mundo assistir tamanha devastação moral e psicológica que acomete as mulheres no mundo.


A Netflix vem produzindo bons indícios de que a sociedade tá ficando meio biruta e desnorteada com tal comportamento. Um conjunto de séries vem abordando a temática da agressão à mulher, suas consequências, reflexos, e principalmente os danos mentais e familiares, reverberando em todos após um ato brutal. Apesar de não ter um lugar de fala apropriado, cada um pode contribuir em manifestar meios de visibilidade para que cada um possa ter noção dessa barbaridade e até ponderar sobre suas ideias a respeito da sua relação com as mulheres.


Vou expor cinco séries aqui que fizeram com que eu refletisse sobre o que falo acima. São exposições que focam justamente nos atos que perfazem as histórias e seus dramas. Essa serventia é mais um olhar sobre a plataforma e suas demandas atuais que propriamente uma recomendação de audiência.


Anatomia de um escândalo – Um político boa praça vive bem com sua esposa e filhos em uma cidade da Inglaterra, quando vem à tona um possível estupro praticado por ele anos atrás, quando estava se formando em uma universidade britânica. O fato teria ocorrido numa louca noite, junto a um aliado que guarda um segredo sobre aquele dia. A minissérie deixa patente que um abuso pode vir à superfície, mesmo após décadas.


Dois verões – Um grupo de amigos se reencontra numa paradisíaca praia, trinta anos após passarem um verão reunidos. Um deles recebe um vídeo comprometedor a respeito de um estupro coletivo cometido contra uma colega, justamente trinta anos atrás. Há avisos sobre a cena forte mostrada em um dos capítulos. Série belga com final surpreendente.


Alba – Uma jovem mulher procura justiça após a constatação que foi drogada e violentada por amigos do próprio namorado em uma praia do litoral da Espanha. No entanto, os violadores pertencem a uma influente família que deseja construir um luxuoso empreendimento no local. Além do crime como ponto central, tem como pano de fundo a corrupção da justiça, da polícia, e o poder que o dinheiro exerce para que ricaços se livrem impunemente. A produção deixa um pouco a desejar, assim como a atuação do elenco não é lá muito esplendida.


Mentiras – Mais uma série espanhola. Após um jantar com um médico renomado, uma mulher acorda achando que foi abusada sexualmente. A história mostra sua luta para comprovar o feito, já que muita gente duvida que um homem charmoso e elegante cometa algo tão nefasto. Esse é o mote da história: estupradores podem ser bem-sucedidos e acima de qualquer suspeita pelo bom comportamento social e profissional.


Intimidade – Sem dúvida, a melhor de todas. A vice-prefeita de Bilbao, candidata e líder nas pesquisas, tem um vídeo íntimo divulgado semanas antes das eleições. Detalhe: ela estava com outro homem, sendo casada. Logo, a opinião pública moraliza a cena viralizada, atacando sua índole, enquanto aliados pedem sua renúncia, enquanto sua preocupação passa a ser o autor da filmagem e divulgação. Paralelamente, uma professora tenta encontrar os responsáveis pelo suicídio de sua irmã, que passou pela mesma situação da candidata. Mostrado aqui a falta de sensibilidade masculina e o julgamento sobre a sexualidade feminina.



197 visualizações0 comentário