top of page

A LEVEZA CONTAGIANTE DE UMA PENA VERDE


O quão contagiante é a leveza?


Muito! E, as vezes, algumas pessoas nos lembram disso, simplesmente sendo elas. Eu sou fã dessas pessoas. Até porque ser uma pessoa leve é, digamos, um objetivo de vida meu. Sendo sincero, sou uma pessoa tensa. Fico tenso por conta de trabalho… por conta de família… por conta do TOC… eu coloco uma preocupação muito maior do que o problema merece. E eu nunca gostei de ser assim.


Mas, ao longo do tempo, aprendi que não preciso ser assim. Que a vida pode e é muito boa. Só precisamos enxerga-la com mais leveza. Algumas pessoas ao meu redor conseguiram tal feito. Uma leveza que passa para quem está perto. Um exemplo surreal para mim é meu terapeuta. Ele é uma daquelas pessoas que você se sente melhor só por conversar durante 5 minutos. Outro exemplo é um dos meus tio: Vevé. Já chegou ao cúmulo de eu, quando trabalhava em outra área, andar triste por uma bronca que recebi, e, do nada, ele me ver no shopping e me dar um abraço para a noite mudar 100%.


Mas, recentemente, eu vi de uma forma muito surreal o quão a leveza é contagiante. O mais surpreender disso foi enquanto eu era atendido em um estabelecimento comercial. E, se você é de Salvador, sabe como o atendimento ao cliente aqui chega a ser angustiante, as vezes.


Tudo começou faz alguns meses. Jac, minha namorada, queria comprar uma caneta para o tablet e não achava em loja nenhuma. Loja nenhuma. Só na internet com preços altíssimos. Até que ela descobriu que tinha a caneta em uma loja aqui em Salvador. O nome dessa loja? Pena Verde. Na Tancredo Neves, perto do Salvador Shopping. Fomos até lá. Até aí nada anormal.


Mas, quando adentrei o recinto, me senti encantado, percebi imediatamente que aquela loja tinha uma energia diferente que nos fazia levitar. Algo surreal.

Para começar, você encontrar tudo que você acha que só existe na internet. Confesso que não sou frequentador assíduo da Avenida 7, mas até Jac que frequenta o centro da cidade ficou boquiaberta. É como uma loja física da Shopee ou do Ali Express.


Mas, acredite se quiser, o que me chamou mais atenção não foram a variedade de produtos, mas leveza presente naquela loja. A energia é a de uma loja mágica de brinquedos de filme infantil. Quando chegamos, os funcionários comemoravam o aniversário de algum colega da equipe. Animados e sorridentes, chegaram a nos oferecer um pedaço de bolo com Coca-Cola. Aceitamos, claro. De repetente, uma simples compra de 15 minutos dura uma hora. Por que? Porque ficamos batendo papo e dando altas risadas com os funcionários.


Alguns de vocês devem estar pensando “isso é estratégia de vendedor ”. Pessoal, eu digo a vocês. Tá muito além disso. Era uma alegria honesta. Uma felicidade verdadeira que contagiava eu e Jac. Parecíamos duas crianças ali, era um sentimento genuíno. Não conseguíamos entender. Parecia, na verdade, que estávamos em uma reunião de família. Aquela reunião que você conta as horas para acontecer. Regada a muitas risadas e assuntos aleatórios.


Compras feitas, seguimos a vida. Até o dia 3 de dezembro. Adquiri um aparelho para mixagem na mão de meu guitarrista. Mas, esse aparelho, precisava de um acessório, que eu sabia que poderia encontrar lá. Liguei para eles para saber o horário de funcionamento. Com a mesma cortesia daquele outro dia, fui atendido e informado.


Me dirigi até o local. No entanto, estava meio estressado por fatores externos. Chegando na entrada, um funcionário estava na porta. Um daqueles que dava risada com a gente meses atrás. Logo imaginei que ele não lembraria de mim. Afinal, tantos clientes passam por lá… No entanto, a primeira frase dele foi “tá faltando alguma coisa… cadê sua namorada?”. Entrando na loja, aquela energia daquele mesmo dia invadiu meu corpo.


Enquanto todos perguntavam onde estava Jac, como se fosse uma parente deles, nós riamos de assuntos aleatórios. Me senti tão animado que decidi ligar para minha mãe para visita-la e almoçar com ela. Resultado… Até o fato do prato na casa dela ser lasanha vegana entrou na resenha.


Conversa vai, conversa vem e aquela comprinha barata muda completamente o astral do meu dia. Como se eu tivesse conversado com alguns parentes que não via tinha tempo. Em determinado momento do dia eu penso “por que eu tô mais animado assim?” A resposta é óbvia: a leveza e a felicidade contagiam. Essa loja tem um clima tão leve que a gente se sente bem. De fato, a sensação mais próxima do que você sente lá é a de estar numa reunião de família.


Mais uma vez fico sem entender a Pena Verde. Você encontra tudo lá e sai com um sorriso no rosto. A primeira parte até não é tão difícil de se encontrar. Mas a segunda… Perceba que uma coisa é um atendimento exemplar, outra coisa é a energia do lugar, das pessoas envolvidas, que tem um poder tão forte que mudam o seu dia e é assim que você se sente nesse quase portal mágico em um bairro que hoje é um dos principais centros comerciais de Salvador. Uma contradição saudável.


Passei o dia com isso na cabeça. E mais focado na minha meta de ser uma pessoa mais leve. Pois eu quero ser como aquelas pessoas daquela loja... Pessoas que mudam o astral das outras, que te fazem refletir o quão em paz você pode viver a vida. E o quanto ficamos nervosos com besteiras desnecessariamente.


Quando você tem essa energia em seu estabelecimento ou casa… não é qualquer coisa que te abala. Você se sente mais forte. Mais feliz. Mais confiante. E é assim que devemos ser. E agradeço as pessoas que trazem leveza a minha vida e a vida de tantos outros. Também agradeço a toda equipe dessa loja por terem uma energia tão boa que mudou meu dia. Caso se interesse em conhecer, recomendo. Vai achar tudo o que procura e de brinde ainda vai sair com o astral lá em cima!


Imagem de Capa editada, fonte original: <https://lh3.googleusercontent.com/p/AF1QipNl4IvxCQxjuw8270HVX_a-KRqRS0wqny9dftWw=s680-w680-h510>


Observação: essa publicação não é conteúdo pago.

88 visualizações2 comentários
bottom of page