O PULMÃO DO MUNDO SEM OXIGÊNIO E A REVOLTA DA VACINA 2.0



Quem vem acompanhado as notícias das últimas semanas sabem que a pandemia aumentou nesse começo de ano, especialmente no Brasil. A despeito da temática da nossa realidade, tem faltado oxigênio em Manaus, a capital do Estado do Amazonas, local que abriga a floresta amazônica, conhecida como o pulmão do mundo. Mas quem está interferido nesse estado crítico?


Isso mesmo, Whindersson Nunes, Tatá Werneck, Marcelo Adnet, Tirulipa. Não, isso não é uma piada de mal gosto. E ninguém está morrendo de rir, muito pelo contrário, as pessoas estão literalmente morrendo. Artistas de diversas categorias, não apenas os humoristas citados, vêm ajudando na aquisição dos cilindros para que muitos brasileiros não morram de asfixia em decorrências de complicação da COVID 19.


De certo, essa solidariedade de algumas pessoas privilegiadas no país é extremamente positiva, mas não podemos esquecer que não deixa de ser uma iniciativa privada para um problema público. Qual foi então a ação do Ministério da Saúde em relação à Manaus Infelizmente, o que era de se esperar... Pressionar a Secretária de Saúde do Município para fazer o uso da cloroquina -acredito que nem preciso falar sobre ela aqui, já que desde o começo da pandemia Bolsonaro e seu desgoverno têm endossando o uso e a fabricação da substância sem comprovação-.


Essa é mais uma travessura do Governo Federal: matar pessoas. Com certeza, uma ação genocida para com a vida de milhares de cidadãos, sem contar as milhares de perdas do ano de 2020. Em contrapartida, nossos vizinhos Latinos já estão tomando vacinas, enquanto os negacionistas daqui ainda não tem data nem hora, ou melhor, Dia D e Hora H para a vacinação, vide a fala de Pazuello, Ministro da Saúde, quando perguntado sobre quando começaríamos as campanhas por aqui.


Continuo endossando a ideia de que vivemos em uma distopia do real. É tão contraditório a Amazônia estar sofrendo com a falta de oxigênio, assim como estarmos bem atrás no início da vacinação, nós que já fomos referência em imunização em todo Território Nacional.


Acabo de receber agora uma ligação de minha avó falando que não vai tomar vacina X ou Y devido a dúvida sobre a eficácia. E desde quando somos um país anti vacina? Extremamente bizarra a ideia de proferir que a vacina poderia nos converter em comunistas ou jacarés, caso a aplicação fosse lograda. Essas foram algumas ideias ditas por Bolsonaro, ainda que de forma irônica ou puramente pérfida.


Se alguém me contasse em um passado remoto sobre essas falas proferidas pelo presidente do Brasil, eu e vários brasileiros não acreditaríamos. Esse é mais um fator que agrega ao cenário distópico que estamos vivendo. É preciso ver para crer. Em meio a essa enxurrada de fake news, pós verdades e mortes; estamos de mãos atadas.


Nesse momento não sei ao certo como terminar o texto, porque me sinto impotente diante desse cenário caótico. Eu, estudante de uma universidade pública, na minha juventude de 22 anos, não vejo esperança para o Brasil de agora. Só mais uma onda de lapides.


Meu desejo é o impeachment. Ou, ao menos, que em 2022 esse desgoverno saia da condução do país. Mas o cenário é um dos piores possíveis, nem sei se devemos ter esperança para que isso se dê por feito, basta fazer uma analogia com a invasão do Capitólio nos E.U.A, endossada por Trump e seus Trumpminions. Aqui não será diferente, principalmente se ficarmos comendo mosca. Mas isso é papo para outra hora.


Por agora, é necessário que as secretarias municipais e estaduais façam seus planos de vacina, ainda que sem a ajuda do Governo Federal. Além de promover campanhas para conter as aglomerações. De algum modo, as frentes não Bolsonaristas, sejam elas de esquerda ou de direita, precisam se posicionar diante desse momento apoteótico de pandemia para que a população se sinta confortável para ir aos postos tomar a vacina e não se aglomerar, afinal a pandemia ainda não acabou.


Sei que não é simples assim, porque se fosse já estaríamos vivendo sem máscaras e imunes ao vírus, entretanto, a pandemia negacionista é um dos maiores desafios para o agora. Se a revolta da vacina se deu por conta do não conhecimento, a revolta 2.0, na conjuntura atual, se sucede pela negação desse conhecimento. Não só sobre a pandemia, como também sobre o próprio vírus.


Não é atoa o posicionamento negligente, revoltante e diga-se de passagem, assassino, do Governo Federal para com a condução no Brasil na pandemia. Será que a Corte de Haia poderia processor Bolsonaro e seus desgoverno pela necropolítica exercida?


Cena para os próximos capítulos...


Que entre viver ou morrer, a gente viva.

Recomendo também a leitura dos textos: Cadê o impeachment? Sai ou não sai? ;BANALIZAÇÃO DA MORTE NA DISTOPIA BRASILEIRA; Bolsonaro é o Barrabás do Brasil.

Fonte da imagem de capa : Colagem Jacqueline Gama, a partir da publicação da revista Zé Pereira e fotografia de portal G1.


Fontes de notícias:


CORREIO BRAZILIENSE. “Pazuello diz que vacinação começa ‘no dia D, na hora H’”< https://www.correiobraziliense.com.br/brasil/2021/01/4899602-pazuello-diz-que-vacinacao-comeca-no-dia-d-na-hora-h.html>


EL PAÍS BRASIL. “Chip na vacina, ‘virar jacaré’ e outros mitos criam pandemia de desinformação na luta contra a covid-19” <https://brasil.elpais.com/brasil/2020-12-20/chip-na-vacina-virar-jacare-e-outros-mitos-criam-pandemia-de-desinformacao-na-luta-contra-a-covid-19.html>


ESTADO DE MINAS. “Manaus sem oxigênio: Pazuello visitou cidade para divulgar kit cloroquina.”

<https://www.em.com.br/app/noticia/nacional/2021/01/14/interna_nacional,1229144/manaus-sem-oxigenio-pazuello-visitou-cidade-para-divulgar-kit-cloroquina.shtml>


ISTOÉ GENTE. “Famosos se unem para providenciar cilindros de oxigênio para Manaus.” <https://istoe.com.br/famosos-se-unem-para-providenciar-cilindros-de-


NEXO JORNAL. “Qual o estado da vacinação contra a covid na América Latina.” <https://www.nexojornal.com.br/expresso/2020/12/29/Qual-o-estado-da-vacina%C3%A7%C3%A3o-contra-a-covid-na-Am%C3%A9rica-Latina>








25 visualizações0 comentário